top of page

“É mais caro fazer negócio aqui”, diz presidente da Shein na América Latina

Desde que anunciou a intenção de produzir no Brasil, a Shein contabiliza 151 fábricas brasileiras produzindo seus modelos

Imagem: Divulgação



Para Marcelo Claure, a empresa chinesa de fast fashion não deve encontrar problemas para manter a sua eficiência


Após iniciar a produção de roupas e acessórios no Brasil, o presidente da Shein para a América Latina, Marcelo Claure, reconheceu que é mais caro fazer negócio no país, mas afirmou que a empresa chinesa de fast fashion não deve encontrar problemas para manter a sua eficiência.


Em entrevista a O Globo, publicada na última sexta-feira (2), o executivo disse que a estratégia de produzir localmente não deve afetar a política de preços da empresa.


“Os primeiros experimentos mostram que a eficiência é a mesma. O custo laboral é um pouco maior, é mais caro fazer negócio aqui, mas isso é compensado pelas economias que ganhamos com a logística. Os primeiros testes têm sido muito promissores”, afirmou.


Questionado sobre as críticas dos varejistas locais, que atribuem a eficiência da marca ao não pagamento de impostos, Claure rebateu dizendo que a competitividade da Shein está atrelada ao seu modelo de negócio.


“Muita gente se confunde, achando que nossa competitividade está ligada a vantagens fiscais. Mas ela está no nosso modelo de negócios”, afirmou.


Desde que anunciou a intenção de produzir no Brasil, a Shein contabiliza 151 fábricas brasileiras produzindo seus modelos. A expectativa da empresa é que 85% de suas vendas sejam locais até o final de 2026.


A primeira parceira no Brasil foi a Coteminas, que pertence ao atual presidente da Fiesp, Josué Gomes da Silva. O empresário é historicamente ligado a Lula.


Marcelo Claure, no entanto, negou que a escolha da parceria tenha tido peso político.


“Zero influência política. Eu nem sabia, pessoalmente falando, do relacionamento entre o Josué e o governo Lula”, disse.


Informações de O Antagonista.


3 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page