Brasileiros enfrentam filas quilométricas para abastecer a R$4,50 na Argentina


Foto: Roberto Wolfart/RPC Foz do Iguaçu

Após a Petrobras ter anunciado ontem um aumento de 18,8% no preço da gasolina, brasileiros de Foz do Iguaçu têm cruzado a fronteira com a Argentina em busca de preços melhores. Enquanto na cidade no oeste do Paraná postos de gasolina já cobram o litro acima de R$7, na cidade hermana de Puerto Iguazú o combustível pode ser encontrado abaixo de R$4,50. Os motoristas de Foz do Iguaçu também cruzam a fronteira com destino ao Paraguai, onde o preço médio da gasolina é de R$ 5,18 o litro.


Apesar do último aumento ter sido significativo, o movimento dos paranaenses em busca de melhores preços em países vizinhos não é novo. Tanto que, desde dezembro do ano passado, motoristas estrangeiros tem restrições para abastecer na Argentina. A medida foi tomada por conta da alta procura ao ponto de alguns postos argentinos ficarem sem gasolina. Além do serviço ter horário delimitado para veículos não-argentinos, motoristas estrangeiros têm o limite de 15 litros de gasolina por abastecimento.


A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (10) um novo reajuste nos preços de gasolina, diesel e GLP, o gás de cozinha, para as distribuidoras a partir da sexta-feira (11). Agora, o preço médio da gasolina passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 o litro, um aumento de 18,77%.


Para o diesel, o valor irá de R$ 3,61 a R$ 4,51, alta de 24,9%. Já o gás de cozinha passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por quilo, um reajuste de 16%.


Em nota, a Petrobras afirma que os valores "refletem parte da elevação dos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente a demanda mundial por energia".


Fonte: Yahoo Finanças


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo