top of page

Confira as rotas aéreas mais movimentadas da América Latina; Brasil lidera

A ponte aérea entre São Paulo e Rio de Janeiro é quase 20% mais voado que o segundo colocado, Bogotá-Medelin (Colômbia)


Imagem: Filip Calixto


A força do mercado doméstico do Brasil, que hoje é o maior da América Latina, é comprovada com Congonhas-Santos Dumont em primeiro lugar no ranking das rotas mais voadas de toda a América Latina. A ponte aérea entre São Paulo e Rio de Janeiro é quase 20% mais voado que o segundo colocado, Bogotá-Medelin (Colômbia).


Os voos entre o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e os aeroportos de Brasília, Porto Alegre e Belo Horizonte também estão entre as principais rotas, de acordo com levantamento da Associação Latino Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (Alta), no primeiro semestre de 2023 (janeiro a junho).


Confira abaixo as rotas da América Latina com o maior número de voos entre janeiro e junho de 2023.

  1. Congonhas - Santos Dumont: 18.768

  2. Bogotá - Medelín (Colômbia): 15.365

  3. Cancún - Cidade do México (México): 13.246

  4. Bogotá - Cáli (Colômbia): 11.716

  5. Belize - São Pedro (Belize): 11.508

  6. Bogotá - Cartagena (Colômbia): 10.981

  7. Cidade do México - Monterrey (México): 10.506

  8. Guadalajara - Cidade do México (México): 10.164

  9. Brasília - Congonhas: 8.962

  10. Cusco Lima (Peru): 8.444

  11. Congonhas - Porto Alegre: 8.308

  12. Guayaquil - Quito (Equador): 7.890

  13. Congonhas - Confins: 7.765

  14. Belize - Dangriga (Belize): 7.763

  15. St. Jean (Saint Barthélemy) - Sint Maarten (Países Baixos): 7.551

  16. Belize - Placencia (Belize): 7.381

  17. Barranquilla - Bogotá (Colômbia): 7.200

  18. Cidade do México - Tijuana (México): 6.806

  19. La Paz - Santa Cruz de la Sierra (Bolívia): 6.617

  20. Guadalajara - Tijuana (México): 6.602


Os dados comprovam o alcance do mercado doméstico brasileiro, que, de acordo com a Anac, transportou em junho 7.2 milhões de passageiros, o maior resultado para o mês desde 2015. O CEO da Alta, José Ricardo Botelho, explicou que o Brasil se recuperou no tráfego doméstico, porém no segmento internacional segue abaixo de outros mercados da região.


"Apesar de o Brasil ser o país da América Latina que se conecta com mais regiões, o México tem quase três vezes o número de rotas internacionais. Ou seja, existe ainda um grande potencial a ser explorado pelo nosso País”. José Ricardo Botelho, CEO da Alta

Em termos comparativos, as companhias aéreas do Brasil ligam 27 países em seis regiões diferentes (América do Norte, América Latina, Europa, Oriente Médio, África e Ásia-Pacífico), e possuem 114 rotas internacionais e mais de 400 domésticas.


Enquanto isso, as companhias colombianas conectam 27 países em três regiões diferentes (América Latina, América do Norte e Europa), com 109 rotas internacionais e 105 nacionais. E as empresas aéreas mexicanas se unem a 31 países em quatro regiões diferentes (América Latina, América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico), além de 305 rotas internacionais e 216 domésticas.


Informações do Panrotas

4 visualizações0 comentário

Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
bottom of page