top of page

Liderando o Mercosul, Lula vai à cúpula da América Latina e Caribe com a UE para fortalecer relações

O encontro terá a presença de líderes representantes das 33 nações que integram a Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) e dos 27 países que compõem a União Europeia (UE)


Ursula von der Leyen e o presidente Lula: sinalizações de parcerias e investimentos. | Foto: Ricardo Stuckert / PR / Junho



Após assumir a liderança do Mercosul no início deste mês, o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), participará da cúpula Celac-UE nas próximas segunda (17) e terça-feira (18) em Bruxelas, na Bélgica, para fortalecer relações entre os blocos.


O encontro terá a presença de líderes representantes das 33 nações que integram a Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) e dos 27 países que compõem a União Europeia (UE), totalizando 60 lideranças.


Na ocasião, devem ser discutidas questões como mudança do clima; comércio e desenvolvimento sustentável; inclusão social; recuperação econômica pós-pandemia; transição energética, transformação digital justa e inclusiva; migrações; reforma da arquitetura financeira internacional; luta contra o crime organizado; e cooperação para o desenvolvimento.


Serão abordadas ainda diferentes iniciativas e projetos de cooperação, com vistas ao fortalecimento das relações birregionais.


Apesar disso, o acordo de livre comércio entre o Mercosul (bloco formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) com a UE não deverá avançar. A negociação ficou travada após os países europeus fazerem novas exigências em relação à preservação ambiental à mudança climática.


O Brasil enviou na sexta-feira (14) ao bloco regional uma sugestão de contraproposta para ser usada como resposta à UE. A CNN mostrou nesta semana que interlocutores do Planalto falam em tom duro dessa carta.


Um ponto que o Brasil quer incluir na resposta é relacionado às compras governamentais. O governo teme que empresas europeias ocupem o espaço das empresas nacionais em licitações públicas.


Na agenda do presidente Lula durante a cúpula Celac-UE há um encontro dele previsto com a presidente da comissão europeia, Ursula von der Leyen. Na ocasião, Lula deve falar do acordo com o Mercosul, mas não há grandes expectativas.


Lula entende que está presidindo o bloco de países sul-americanos em um momento decisivo das negociações para fechar o acordo com os europeus.


O presidente brasileiro chegou a anunciar que não participaria da cúpula e seria representado pelo seu vice, Geraldo Alckmin, mas, após ser convidado pelo primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, mudou de opinião.


A última cúpula da Celac-UE aconteceu 2015. O Brasil voltou a fazer parte da Celac em janeiro deste ano, como uma das primeiras ações de Lula ao assumir o Planalto, após um período de quase três anos do país afastado.


Informações CNN Brasil


1 visualização0 comentário

Kommentare

Mit 0 von 5 Sternen bewertet.
Noch keine Ratings

Rating hinzufügen
bottom of page